José Sócrates

Tem finalmente a coragem e arrogância necessárias para as medidas difíceis. É claro, não entra em cantigas, imprime a necessária disciplina ao país. Deixando de lado as divisões caducas entre esquerda e direita, é o possível salvador da democracia enquanto regime sustentável. Uma surpresa.

ou

Mestre da demagogia porque discreto, utiliza a propaganda como nunca fizeram em Portugal desde os anos 40, põe os portugueses uns contra os outros em nome do combate aos privilégios, aumenta a despesa e põe em causa direitos cuja conquista demorou décadas. Podia ter sido primeiro-ministro antes do 25 de Abril. Uma desilusão.
Enviar um comentário